domingo, 4 de março de 2012

Somewhere over the rainbow-Em algum lugar além do arco íris




"Você tem transtorno bipolar!" - disse o médico.
    O ano era 2010, eu estava no auge da vida, com 36 anos, bem casada, dois filhos lindos, um emprego público estável, casa própria, carro novo, viagens de férias com a família, enfim, tudo que uma mulher sonha. Mas sabia que algo estava errado comigo, ficava irritada com tudo, meu humor mudava facilmente, mas não me abati com essa notícia. O psiquiatra me receitou um remédio e comecei a tomá-lo.
   No outro dia eu liguei prá minha irmã que mora no interior, que é como uma segunda mãe prá mim e contei o ocorrido, aí sim ela me preocupou, falou que conhecia pessoas com esse transtorno, e que minha vida iria virar do avesso. Ela não se conformou com o diagnóstico e me disse prá ter uma segunda opinião; lá fui eu e meus filhos pro interior me consultar com a médica de confiança dela, depois de falar o que ocorria comigo, sem falar do diagnóstico anterior, ela olhou prá mim e disse: -“Às vezes eu fico com dúvida, mas no seu caso eu não tenho dúvida nenhuma, você tem transtorno bipolar afetivo de humor”. Nesse momento eu senti o peso do que é “tomar remédio pelo resto da vida”. Ela receitou outro remédio, porque o que o médico tinha receitado estava me deixando tonta e com dor de cabeça. Eu e minha irmã ficamos muito tristes, mas a vida continua....
  Voltei prá Itanhaém, fiquei um tempo afastada do serviço, mas logo me recuperei, fiquei bem, minha vida estava caminhando as mil maravilhas, porém, sempre tem um porém, o meu médico mudou de clínica; tive que que procurar um terceiro médico que me receitou outro remédio sem fazer o desmame (tirar o remédio aos poucos). Conclusão: No começo de março de 2011 eu entrei em “mania”. Foi terrível, a doença se manifesta da pior maneira possível, a gente faz coisas inimagináveis, é como se nos tornassemos outra pessoa. Graças a Deus,  consegui achar a clínica que o meu primeiro médico estava trabalhando, saí de licença saúde novamente, mas desta vez por um longo tempo. Fiquei no que os psiquiatras chamam de cilotimia (hipomania e depressão) da doença  por quase um ano, não dá prá mensurar quanto minha família sofreu nessa época, foi um dos piores anos da minha vida.
     Foi nessa época, num sábado à noite que eu estava procurando algo sobre bipolaridade na internet, eu sempre fazia isso, eu já tinha lido o livro do Alexandre Fiuza "Digerindo a Bipolaridade" e sempre acessava o site www.bipolaridade.com.br, porque eu queria saber mais sobre a doença. Mas naquele sábado eu estava sozinha e estava muito deprimida, sozinha só eu e Deus, eu conheci o blog do Sérgio Figueiredo, ele é português e tem um ótimo blog sobre bipolaridade, eu desabafei no blog tudo o que estava me corroendo por dentro, mas nem imaginei que ele iria responder. Qual foi minha surpresa, no outro dia eu entrei novamente no blog, e lá estava a resposta dele. Eu contei para o meu marido, que me deu apoio, porque ele (Sérgio) estava me ajudando, a gente se correspondeu um tempo por e-mail. Ele não me falou nada além do óbvio. Mas vindo dele, sabendo que ele também sofria como eu, então ...."caiu a ficha". Como no filme O Mágico de Oz, não existe mágico, assim como não existe remédio mágico que irá me curar. Daí em diante eu comecei a melhorar. Voltei a trabalhar, os piores sintomas desapareceram, mas eu sei que “ela” (a doença) está sempre comigo. “Tomar remédio pro resto da vida”? Eu não sei quanto é o resto da minha vida. Continuo tomando remédio e fazendo terapia com uma terapeuta maravilhosa.  Recentemente recebi um presente de Deus, meu filho de onze anos passou em primeiro lugar na Escola Municipal de Música de São Paulo, concorrendo com 175 pessoas de 9 a 30 anos. Sei que minha vida e da minha família estão nas mãos de Deus! Aqui vai a letra da música e o meu filho Daniel tocando com o Maestro da Orquestra de Campo Grande/MS nosso amigo Eduardo Martinelli a música tema do Mágico de Oz.
Em algum lugar além do arco-íris
Bem lá no alto
E os sonhos que você sonhou
Uma vez em um conto de ninar
Em algum lugar além do arco-íris
Pássaros azuis voam
E os sonhos que você sonhou
Sonhos realmente se tornam realidade
Algum dia eu vou desejar à uma estrela
Acordar onde as nuvens estão muito atrás de mim
Onde problemas derretem como balas de limão
Bem acima dos topos das chaminés é onde você me encontrará,
Em algum lugar além do arco-íris pássaros azuis voam
E o sonho que você desafiar, por que, porque eu não posso?
Bem, eu vejo árvores verdes e
Rosas vermelhas também
Eu as vejo florescer pra mim e pra você
E eu penso comigo mesmo
Que mundo maravilhoso
Bem eu vejo céus azuis e eu vejo nuvens brancas
E o brilho do dia
Eu gosto do escuro e eu penso comigo
Que mundo maravilhoso
As cores do arco-íris tão bonitas no céu
Também estão no rosto das pessoas que passam
Eu vejo amigos apertando as mãosDizendo, "como você está?"
Eles estão realmente dizendo eu... eu te amo!
Eu ouço bebês chorando e vejo eles crescerem,
Eles aprenderão muito mais
Do que nós sabemos
E eu penso comigo mesmo
Que mundo maravilhoso.
Algum dia eu vou desejar à uma estrela
Acordar onde as nuvens estão muito atrás de mim
Onde problemas derretem como balas de limão
Bem acima dos topos das chaminés é onde você me encontrará,
Em algum lugar além do arco-íris bem lá no alto
E o sonho que você desafiar, por que, porque eu não posso?

http://www.vagalume.com.br/israel-kamawiwoole/somewhere-over-the-rainbow-traducao.html#ixzz1o9hUxKff








Espero que tenham gostado, não sou escritora, mas escrevo com o coração.
Deixe sua opinião que responderei assim que puder.

29 comentários:

  1. Luciana, em primeiro lugar, bem vinda à blogosfera! ( o nome é assim mesmo, meio estranho...rs)

    E parabéns pela coragem! Pela coragem em escrever e relatar seu problema. Muitas pessoas são bipolares e não conseguem admitir isso e sequer procuram ajuda - e é preciso. Certamente essa postagem e este depoimento ajudará muitas pessoas.

    (curioso como certas coisas aparecem quando "estamos no auge profissional": eu tive depressão e desenvolvi síndrome de burnout há pouco mais de 3 anos e isso me custou muito, muito caro - e não estou falando de custos financeiros. Repensei muita coisa em minha vida)

    Não deixe a terapia e nem de tomar a medicação. Você vai estabilizar rapidamente, ainda mais com o apoio da família e bons motivos para sorrir, como no caso do seu filho! :)

    Beijo pra você e boa sorte!

    E que venham muitos e muitos outros posts! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Jaime, pelo incentivo. Realmente tenho uma família maravilhosa, me ajudou muito na superação, estou estabilizada, mas não posso descuidar dos remédios e da terapia. O meu intuito com esse blog é justamente ajudar outras pessoas que passaram pelo que eu passei e passo ainda, porque convivo com a doença diariamente.
      Pode deixar que eu já tenho um assunto pro próximo, espero que vc também goste. Bjão.

      Excluir
  2. Olá Luciana, já tenha uma forte impressão que este blog será algo super positivo para ti e também para nós seus leitores... Eu tenho lidado bem de perto com um quatro, talvez até um pouquinho mais grave que o seu, o da minha mãe e por causa dela eu acabei pesquisando bastante sobre o assunto e acho que vai ser legal aprender e trocar experiências com você daqui para frente... Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Bruno
      Eu decidi fazer esse blog justamente prá ajudar as pessoas, porque foi através de um blog que eu comecei a melhorar. Eu também pesquiso muito sobre o assunto, é que eu não coloquei na aba ainda os livros e sites. Terei o maior prazer de ajudá-lo no que for preciso, porque eu sei que é difícil conviver com uma pessoa com um problema assim, como eu disse minha família sofreu muito. Bjão.

      Excluir
  3. LuZinha querida, fico muito feliz que vc tenha aderido ao mundo da blogosferaaaaa!!!! Muito feliz messsmo!

    Sua postagem nos permitiu conhecer mais um cadim sobre sua vida. Cada dia me sinto mais próxima de vc, viu!? Espero que se delicie com esse universo 'Blogonauta'...rsrsrs... vc já é pra lá de querida e com certeza terá leitores constantes, nesse novo espaço que criou.

    Qualquer coisa, sabe que estamos aqui, para o que der e vier. É só chamar/gritar/mandar sinal de fumaça, que venho correndo!

    Tudo o que lhe aconteceram nos últimos anos, certamente, serviram de crescimento.

    Ahhh, sobre o Dani, já dei meus parabéns, né!? Dani, vc, o marcos e o Fernandinho mereeeecem tudo de bom dessa vidinha...

    bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joicy querida
      Você me apresentou esse mundo blogosférico, onde conheci pessoas maravilhosas, você tem razão, aprendi muito com o ano passado, vou falar isso no próximo post. Valeu pela força, qualquer coisa eu mando sinal de fumaça (kkkkkkk). Apesar que eu acho meio difícil chegar aí em Goiânia. Bjão no coração.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Querida Lu,

    Fico feliz com o seu espaço! Feliz mesmo! Penso que já eras blogueira, faltando apenas se instalar.

    Quanto ao seu post, parabéns pela coragem de assumir a doença e estar disposta a discutir o tema com a blogosfera.

    Penso que é muito comum as pessoas utilizarem o termo "bipolar" de forma irônica em relação ao comportamento do outro. Espero que blogue ajude as pessoas a entenderem o significado e sejam solidárias aos portadores.

    Você é uma guerreira, possui uma sensibilidade enorme, dedicada a família, enfim, uma mulher admirável. Penso que todo mal traz um bem e, nesse caso, a doença te fez mais humana e corajosa.

    Desejo que esse espaço seja sempre abençoado com a força das suas palavras. Força aí!

    Fica com Deus!

    Obs.: Deletei o outro porque tinha um erro e não ia estragar a sua estreia.

    Sua amiga Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lú
      Você é tudo de bom mesmo, quando leio o seu blog quase sempre lágrimas escorrem do meu rosto, você é sempre profunda, até quando comenta, isso aqui é fruto do seu incentivo também. Obrigado pelos elogios, vindo de você que quase não pertence a esse mundo (kkkkkkk) de tão forte e meiga ao mesmo tempo, é um elogio e tanto, e um incentivo prá continuar escrevendo. Bjão. no coração.

      Excluir
  6. Ola Luciana, aqui é o Flávio da Blogosfera!

    Fico feliz que tenha decidido escrever e inaugurar o blog. Temos uma bela rede de amigos por ai.

    Esse transtorno que relatou no texto tem que ser periodicamente analisado com carinho, verificando evoluções e dificuldades. Não sei se você já tentou, mas sempre é muito bom acupuntura. Eu tinha vários problemas e a acupuntura, que é uma ciência milenar, conseguiu melhorar bastante coisa. Converse com um bom especialista na área, quem sabe ele não te indica uma linha de tratamento na acupuntura para que você possa atingir resultados ainda melhores.

    Estarei sempre por aqui agora.

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flávio
      Ontem a gente bateu um papo legal no face do Victor né? Eu nunca tentei acupuntura não, mas além dos remédios eu faço terapia semanalmente, e faço massagens também, ajuda a relaxar. Valeu pela dica, eu tenho um amigo que faz acupuntura, vou procurá-lo. Que bom que gostou. Bjos.

      Excluir
  7. Lu, que bom que o blog está no ar!!!
    Seu espaço com certeza vai ajudar muitas pessoas, mas principalmente a vc mesma. Escrever é uma ótima terapia, Lu, vc vai ver.
    E como disse a Joicy, pode contar com a gente pro que precisar, viu? Fico muito feliz de estar participando seu cantinho.
    Grande beijo pra vc e sua família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Val
      O meu blog ainda tá pobrezinho, mas eu queria colocá-lo no final de semana, ainda vou melhorá-lo. Eu tenho certeza que será uma via de mão dupla, quero ajudar as pessoas, mas escrever também me faz bem. Obrigada, sei que posso contar com vocês. O melhor de tudo é a amizade que fiz na blogosfera. Bjão no coração.

      Excluir
  8. Olá!
    Conheci seu blog recém-nascido (rs) através do Facebook e notei que você tem amigos da blogosfera que são os mesmos que o meu. Gostei da forma como vc escreveu sobre si e por ter a coragem de admitir que possui bipolaridade. Bom, espero poder trocar idéias contigo. Gostaria de te seguir mas não achei o painel de Seguidores :/
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tsu
      É eu te conheço do blog da Joicy, obrigada por sua visita, eu frequento o blog dela e alguns outros blogs, ela me apresentou à Blogosfera, lá eu conheci a Cecília Romeu e o Victor, eles, mais a Lú Santa Rita que me incentivaram a fazer um blog, mas o assunto foi eu que escolhi.
      Escolhi falar de algo que vivencio, como falei acima prá Val, é uma via de mão dupla, vai me ajudar e ajudar outras pessoas, pelo menos é o que espero. Não tenho painel de seguidores porque ainda estou fazendo uns ajustes .
      Bjos.

      Excluir
  9. adorei, a historia eh mais ou menos essa mesmo, ate a gente aprender e aceitar q realmente depende só da gente...

    e adorei a musica, seu filho eh talentoso, parabens!

    www.ateliexoxo.com.br

    ResponderExcluir
  10. Obrigada pela visita Uyara
    Comecei esse blog porque quero ajudar as pessoas, e escrevendo também serei ajudada. Obrigada pelo elogio ao Dani, eu sou suspeita (kkkkk).
    Bjão.

    ResponderExcluir
  11. Bipolaridade por muitas vezes pode prejudicar ... mas gostei da sua atitude em vim dizer , com suas palavras, que tem . Amei o post, quero ler mais tetxos seus em breve, viu? Beijão // www.spiderwebs.tk

    ResponderExcluir
  12. Obrigada Sabrina, valeu pelo incentivo, vocês todos da Blogosfera são uns amores.
    Eu já tinha intenção de escrever sobre a minha história com a doença, quando o pessoal me incentivou a ter um blog de tanto eu comentar no deles, eu não tive dúvida, resolvi escrever sobre algo que vivencio.
    Pode ficar tranquila, vocês vão ter que me aturar (kkkkk), eu já tenho em mente o próximo assunto, por incrível que pareça tem a ver com o que você postou hoje, mas não é plágio não viu?!
    Bjão

    ResponderExcluir
  13. Nossa, Luciana, me emocionei com sua história. Parabéns pela superação. Você é uma vitoriosa!!! Que Deus te abençoe muito e que sua linda família te dê forças para prosseguir nesta jornada. Muito linda a música tocada por seu filho! Ele vai longe, com certeza!
    beijos
    http://www.atelierdepalavras.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Renata, que bom que você gostou, espero que volte mais vezes. Minha família me ajudou muito a sair do fundo do poço onde cheguei, e o Daniel, ah.... eu sou suspeita, ele é tudo de bom (kkkkkkk), eu sou a mãe mais coruja do mundo, sempre que puder vou colocar algum vídeo dele aqui tocando.
      Bjão.

      Excluir
  14. Estar sempre em médicos e tomar remédios para a vida inteira é a realidade de muitos, não somente de bipolares. Os diabéticos e outros que possuem qualquer tipo de doença auto-imune também passam pela mesma realidade.
    Gostei muito da maneira que abordou a doença, sem meias palavras, sem mimimi ou síndrome do coitadinho, apenas uma pessoa que tem que lidar com uma doença no dia a dia como muitas.
    Parabéns a você e ao seu filho e seja bem vinda a blogosfera.
    Já estou seguindo.

    ResponderExcluir
  15. Olá Christian
    Muito obrigado pela sua visita, pelo seu comentário, e pelo elogio. Você colocou bem quanto à medicação, no começo eu fiquei encucada com a idéia de tomar remédio a vida inteira, mas depois eu tirei de letra. A minha mãe não aceita que eu tome os remédios, mas por ironia ela não pode ficar sem insulina pois é diabética. Eu cansei de discutir com ela porque ela já tem setenta e seis anos e eu já sou bem grandinha, não devo satisfações a ela, então evito entrar nessa discussão, ela não entende mesmo. Quanto a blogosfera, é tudo de bom, eu já me sentia em casa antes de ter blog, agora então (kkkkk). Bjos.

    ResponderExcluir
  16. Às vezes as pessoas nos veem numa cama, sem estar gemendo, ou rodeada de remédios e tratamentos, e não sabem o que é uma doença como o transtorno bipolar, a síndrome do pânico ou afins, eu tive depressão forte por três anos, posso dizer que foi o período que fui mais merda na minha vida e na de meus filhos, mas graças a Deus, a ele é a vinda de minha filhinha que melhorei. Amei seu blog pelo simples fato de ser seu, e de vc escrever nele do jeito como fez, desnudando sua alma, falando sem vergonha dos problemas pelo qual passou, é isso aí querida, te desejo tudo de bom.
    Vim retribuir a sua visita ao meu blog e fiquei sua fan ^^
    Beijos
    Viviane
    Razão e resenhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Viviane
      Obrigada pela visita, espero que volte mais vezes. Você tocou num ponto certo, só quem passa por essas doenças da mente é quem sabe o quanto é difícil, mas ainda bem que como eu, vc superou. Na verdade eu mato um leão por dia (kkkk), porque a bipolaridade não tem cura, mas a vida continua. Beijão.

      Excluir
  17. Luciana,
    voltando das férias... aqui estou!
    E já seguindo também!
    Primeiro, parabéns pelo filho, por essa conquista maravilhosa!
    Quanto ao transtorno bipolar, tenho um amigo e outra pessoa da família que tem esse problema. É mais comum do que a gente imagina. Na época em que aconteceu com meu amigo, tive a oportunidade de assistir palestra e conversar com o doutor psiquiatra, talvez a sumidade no nosso país sobre o assunto, é o gaúcho: Diogo Lara (se quiser, procure no Google pelo nome dele, pode ter alguma artigo), ele já publicou vários livros sobre bipolaridade e é muito reconhecido nos EUA.
    Grande beijo! Sucesso no blog!

    ResponderExcluir
  18. Oi Cissa
    Estava ansiosa esperando sua visita, afinal você foi uma das que me incentivaram a fazer o blog, só que você não tinha a mínima idéia do que iria escrever. Como cada um de vocês escrevem de um jeito diferente e de um assunto deferente, decidi escrever sobre o que eu convivo, para ajudar outras pessoas, e, escrevendo, como disse a Val, estarei me ajudando também.
    Eu conheço o site do Diogo Lara, eu até o cito no meu post, e já li o livro dele, depois que eu li eu dei prá minha terapeuta. É que o meu blog ainda tá pobrezinho, eu ainda não consegui colocar os blogs e sites que indico, quando conseguir vou colocar o site dele e os blogs da turma toda (kkkkkk). Ah, obrigada pelo elogio ao Dani, filho é tudo de bom né? Ter um filho músico como ele então! Eu sou a mãe mais coruja do mundo (kkkkkk).
    Bjão no coração.Fiquei muito feliz com sua visita.

    ResponderExcluir
  19. passando por um blog amigo encontrei vc e me interessei demais..
    sou diagnosticada com síndrome do pânico a quase 10 anos..
    estou controlada atualmente..tenho uma psiquiatra desde esta época e tomo remédios regularmente..fiz terapia por quase 5 anos e adorei!! fiquei muito bem, tanto que quase a dois anos eu me dei alta...rsrs (com o aval da psicóloga,claro)
    entendo perfeitamente o que vc passou e nesses momentos, o nosso maior presente, é descobrirmos o quanto somos amadas pela nossa família..e principalmente por Deus..

    estou te seguindo..
    bjs.Sol


    ResponderExcluir
  20. Oi Sol
    Que bom que você se identificou com o blog. Obrigada pela visita, espero que volte mais vezes. Realmente o carinho e apoio da família é o que mais precisamos.
    Bjos. Fique com Deus!

    ResponderExcluir

Os comentários estão moderados, é melhor assim! Sua opinião é importante para mim!
Obrigada! Volte sempre!